Jaime Pontas

já nasceu!

Mais um afilhado para Mac Macléu Ferreira

Mais um membro do futuro Conselho de Administração da Mac Lula

O outro é o adolescente Jaime Peidinho

 

O CASAL MARAVILHA

 

O ATLETA, O CAIXA-DE-ÓCULOS E A COELHINHA!

 

As Aventuras de um Coelho com Óculos e de uma Galinha chamada Bábá

Apoiantes - "Comam-na à Força / Comam-na à Força / Para o Maria Ganhar"

Coelho - Bábá, o Povo de Lisboa gosta de si! Estamos todos com ponta! Não se deixe condicionar, mostre o peito ao povo.

 

Temos um Candidato rodeado de

Gente Séria

Eu fico a guardar o Diniz enquanto a Bábá vai mostrar as mamas ao povo.

 

Em 1998 a Bárbara recebeu 60 mil euros do Fundo de Fomento Cultural, tutelado pelo Ministério da Cultura, dirigido pelo Carrilho, para fazer um programa para a RDP, com a duração de 5 minutos. Quais terão sido as contrapartidas?

"Ele conheceu-a na cama dela e no fim do dia
apareceu o marido da Bábá e partiu os cornos

ao Ministro. Foi para o Conselho a "falar fininho"" .

Quitéria Barbuda in "Acesso à Cultura com uma Rata",
Revista "Espírito", nº 5, 2005.

"Um Projecto para Lisboa

Tem como cabeça de cartaz um cidadão que um dia foi apanhado na cama com a mulher de outro, em sexo oral, pelo marido desta, e foi para o Conselho de Ministros com um 'olho à belenenses' e um testículo inchado" - John Holmes in "Ratas Finas", Revista "Gina", nº 1024, 2005.

"Andamos em cima dela para nos pagar os 140 contos que nos deve.Foge como pode"

Empresa de Serviços

"Bábá é uma mulher comum com uma habilidade especial e nenhum pudor. Já participou num casamento de curta duração, em que contracenou com um pastor. Mas o que ela sempre quis foi algo "hard", uma sensação mediática, capas de revistas culturais e notoriedade intelectual. Daí partiu para uma cruzada política, exibindo todo o seu físico numa revista só para filósofos, a "Gina".

Quitéria Barbuda in "Engates de Rua", Revista "Espírito", nº 7, 2005.

 

 

Cultura sempre Cultura....

A Branca Pintelhuda e os 7 anões pontudos

Uma vez nasceu
Num reino distante
Uma Princezinha
De Pintelheira Abundante

Tinha a pele tão alva
A voz tão aguda
A cona tão gorda
A Branca Pintelhuda

Mas a má rainha
Ficou furiosa
Quando viu a filha
Assim tão frondosa

"Que grandes Pintelhos,
Nem cabem nas cuecas
Esta moça vai dar
Umas grandes quecas"

"Que vai ser de mim
Sem ter um bom malho"
E dizendo isto,
Engoliu um Caralho

"Ela vai morrer
Ao sair daqui
Não quero ninguém
Com tal pipi"

E dizendo isto
Lançou-lhe um feitiço
Encheu-lhe a boca
Com um grande Chouriço

E eis que a Princezinha
Acordou na mata
Com um anão pontudo
A lamber-lhe a rata

"Mas o que é isto
Ó anão pontudo
Já chegámos à Índia
Meu grande trombudo ?"

"Nós também queremos"
Gritaram os anões
baixando as cuecas
Mostrando os colhões

"Mas que pintelheira
Tem a Princezinha,
Que grande racha
P'ra ficar cheinha"

E assim ficaram
Todos agachados
Uns a ir-lhe à cona
Os outros enrabados

 

Crónica Social na Discoteca "Trumpes" - Emissão nº 6

  Neste momento estamos na Discoteca o "Trumpes" para dar início
a mais uma "Crónica Social", tendo como pano de fundo a voz sublime
e embriagada dos já lendários irmãos tenores Graise / Zé Pincel.
Mas antes da sua actuação iremos ser presenteados com um Show
Porno Dental
das célebres artistas de Paço de Arcos, acérrimas
frequentadoras desta casa nocturna, as inigualáveis "Arranca Prepúcios".
Irão actuar com o patrocínio da pasta "Couraça", interpretando a epopeia
" O Carrossel Mágico ", tendo como história a saga infindável das
carruagens da CP na busca constante do maquinista, o já célebre e atrelado
Dom Cóxis.

E é precisamente agora que vai iniciar-se a actuação do "Carrossel Mágico" !
É um espanto,uma reprodução autêntica da vida agitada de 5 carruagens
e do seu maquinista preferido, o senhor Cóxis, magistral neste papel,
que tem, devido aos efeitos especiais da noite anterior ,o traseiro
completamente vermelho, tal qual um babuíno ou uma couve-flor,
oferecendo-se virginalmente aberto ao gancho do engate. Agarrada
pelos dentes, ao que resta dos seus tomates, vai a segunda carruagem,
tendo logo atrás a terceira, já mais calejada e um pouco coxa, tendo
nas costas como dístico publicitário a griffê "sida". Feita a apresentação
da bicharada, dá-se início à verdadeira viagem,sendo neste momento
o maquinista montado pelas fêmeas presentes. É então quenum delírio
cómico, entra em cena um preto que alegra a multidão com piadas
eróticas, sendo recebido efusivamente por uma quantidade de escarretas,
e outras lagostas, na cara. A artista dos dentes lança-se então de
mergulho sobre a multidão,acabando aqui o número. Isto é que é
espectáculo, há uma dialéctica entre o público e os artistas. E agora sim,
os verdadeiros artistas, os irmãos Graise/Zé Pincél montados numa
"Gilera" e a acenarem à multidão com uma faixa a dizer  "Esta festa é só
para orientados,queremos a Béu e a Macaca". Eles são mesmo insaciáveis,
inigualáveis e inseparáveis ! Esta festa também serve para comemorar a
licenciatura do célebre arquitecto Cociolo, ex-namoradode madame
Campos, que se apresenta magnífico, sendo de imediato cercado pelos
maquinistaspresentes, que o enchem de gestos carinhosos e palavras
lambidas, tentando demonstrar a sensualidade deste arquitecto de
outro mundo. Mas o que ele quer é petiscar uma velha, eaqui velhas nem
velas, porque a maioria dos utentes não chega à reforma. Máry Só-Ares
e Máry Ranhosa presidem a esta gala em homenagem ao homem que tem
dedicado toda a sua difícil adolescência à recuperação do restaurante
"O Papagaio" e da pastelaria "Couraça",com o apoio das revistas
"Velhas Traquinas" , "Jovens Cociolos",e do Jornal do Incrível, onde é
semanalmente capa do jornal. As suas amigas mais atrevidas e os seus
amigos mais invertidos tornam o espectáculo um êxito de "bicheteira",
não tendo sido alheia a intenção da C.P. em promover ali um
"Comboio Mágico", uma das últimas iniciativas destes adolescentes da
Linha do Estoril.

Esta é também a festa da elegância, com meia Paço de Arcos engalanada,
encornada e enrabada,
fazendo jus à importância dos
acontecimentos. Entre os convidados, voluntariamente presentes
e totalmente enganados, os eternos colunáveis:

- o Dr. Moedinhas, com um garboso sobretudo de
pelo-de-rata-sandosa-com-cio
, que o põe com muito bom aspecto,
já não se podendo dizer o mesmo da sua amiga, atingida possivelmente
pelo caruncho; tem na sua mão um belíssimo isqueiro camuflado, que
foi trazido de Cabinda pela sua amante e eterna apaixonada, a bela Pascá,
que desta feita ficou em casa, visto este não ser o local indicado para uma
moça solteira;este explicador de matemática da maior parte das
"
teenageres" paço arquianas confidenciou-nos que a sua musa proletária
ficara em casa coberta com os novos collans "Dyme" com fecho atrás, e
umas belas ligas, que davam um ar firme esensual ao seu "Bumbum",
tendo os belos peitos a descoberto e respondendo desta vez
pelo nome de "Sandexiolina". A bela Pascá será sempre um camaleão do sexo !

- a Dra. Lentxiolina de Contacto está giríssima, disfarçada com um bigode e falando grosso, pensando assim ser mais fácil arranjar um homem; mais aqui, ou já veio tudo orientado e enganado, ou pegam todos de empurrão !

- o Dr. Tonzinho, agora com a fístula recauchutada, não tem mãos a medir, mas antes de avançar pede sempre o B.I.

- o sensualíssimo Conan Vargas é o único que faz sombra a todos, deixando hesitantes as fêmeas tresmalhadas e desviando a atenção da Imprensa Cor de Rosa; já proibiu fotografias e autógrafos, e qualquer contacto terá de ser precedido por uma inspecção rigorosa ao motor da atrevida.

- o Dr. Bigornas apresenta-se vestido com uma túnica branca, sinal de um típico eremita Jomártico.

- o Dr. Velhinho, acompanhado da sua imagem ao espelho, e de uma loira de litro, tenta livrar-se do chato mais feliz do mundo, o multimilionário Cu Milhas Alá Beduino Azias, que chora no seu ombro a perda da sua amada lagosta.

- o Dr. Olho Vivo coça hipnotizado os pelos do peito, mas não arrisca avançar, não vá sair-lhe uma donzela de trombeta.

- mais uma vez o Engenheiro Marcus of Portugal fica a ver navios, pois nem damas nem duques querem torresmos; irá tentar a sorte no Algarve no próximo Verão!

- o Dr. Monhé, dono de uma casa de prazeres com a mão, vende afincadamente revistas e cassetes unisexo, traduzidas para português pela sua cara metade. 

- junto a nós está o eterno noivo, o Dr. M. Boa-Cara, com um giríssimo fato de casado, a conversar com o eterno casado José do Fotógrafo, enfiado num colorido fato de noivo; duas jovens da Brandoa tentam pedir-lhes boleia.

- debaixo de nós está o corpulento, gigantesco e tenebroso Estudante da 4ª classe, o senhor Trovãozinho, vestido com um fato de bebé da "Cenoura"; junto a ele está o jogador de rugby do "Portugal dos Pequeninos", o Poste Toguinha, mais seco do que nunca, em virtude de já não mijar há uma semana, e muito viril, devido aos apertões característicos da modalidade que pratica.

- disfarçado de tropa, descobrimos o mutante Dr. Narciso Serapitola Figueiredo Baeta, que se encontra a beber uma "Sucol".

- no primeiro andar o Dr. Focas das Docas dá giríssimos peidos a todos os maquinistas que se tentam aproximar, estando sentado em cima do seu primo Zé Preto, uma espécie de Solnado Paço Arquiano.

Não conseguimos entrevistar as meninas presentes, pois todas só falam uma língua, a do "Háega", devido à fava ou ao chouriço;  para alguns meninos é tudo devido ao chouriço do caldo verde. Qualquer dia ainda sai alguém daqui com o bicho !

Velhinho, Pilas e Proveta no Cházinho

 

Tita a apanhar Borgalhotas

Significado da palavra "Burro": sarda, caralho, Cacete.....

 

Retalhos da Vida de Um Burro

Quando eu era pequenino
Ainda mal sabia mijar
Já eu via o meu paizinho
Entre conas se enterrar

A minha vida tem sido
Para mal dos meus pecados
Um desfilar de punhetas
E eu a ficar com os trocados

Até que um dia conheci
Um rabinho original
Todo ele peludinho
Tipo árvore de Natal

Sou agora um animal
Daqueles dignos de se olhar
Não te metas tu comigo
Senão vais ter que o gramar

 

 

PRESIDENCIAIS
Jarreta da Esquerda
MÃE DA PÁTRIA
Jarreta da Direita

O VINAGREIRO

 

 

O Mário diz que é milagreiro e a parte ignorante do Povo acredita. Até agora só conseguiu fazer levitar uma galinha, a esposa, apesar de ninguém ter visto. O filho, o Cara-Torta, garante que viu um dia o pai aprumar um corcunda.

Quitéria atingiu a Sabedoria, a Tolerância, o Apaziguamento, a Consciência Crítica, o Sentido do Rídiculo, a Noção do Essencial, a Relativização dos Acontecimentos e dos Sonhos, enfim, uma visão larga da vida que a idade vai trazendo. Quitéria não tem vícios e insuficiências, e por isso encontra-se no patamar superior da civilização. Esta senhora quebrou vitoriosamente o círculo vicioso da pobreza. É Séria, Íntegra, Honesta, Idónea, Neutra e Independente!
É a única candidata dotada de um painel de qualidades que devem ser apanágio do próximo Presidente da República.


O GATO PINGADO

 

 

O Aníbal tem uma cara de enjoo, parece um sapateiro viúvo, irrequieto com o cair do estuque no salão da sociedade. Sente um formigueiro nas nádegas e por isso pôs-se a escrever palpites moralizadores vindos de uma psicologia das profundezas.

OS RESTOS

O Amigo dos Putos

O Amigo dos Copos

A Vergonha

Há certas alturas do ano que abandona o Parlamento a meio dos trabalhos, para ir a correr fazer compras aos saldos em Londres...e outras coisas. É a Esquerda Caviar no seu melhor!
Sexo, Drogas e Música Pimba!
O Desertor

Manifesto Barbudo

A Dra. Quitéria Barbuda é a Dama de Ouros da Política Paço Arquiana e tem agora uma carta na mão, que a torna imbatível. Ela vai jogar tudo, é o combate da sua vida. O país vai arder, é a Guerra Total contra a Esquerda e o seu candidato oportunista, que um dia ousou pisar a Bandeira do País que não o viu nascer. Quitéria reza há anos pelos Paço Arquianos e vai agora depositar a sua Alma aos pés da Pátria. Ela entendeu o destino que os Céus lhe prepararam. A sua vida inteira de muita sorte foi a preparação para este momento. Agora ela sabe que foi um estratagema e uma táctica. A sua vida até aqui foi o prólogo deste instante.

PRESIDENCIAIS

"O senhor Soares é objecto de um obituário aguardado com grande expectativa"

Quitéria Barbuda in "O Fim de um Patife", Revista "Espírito", nº 24, 2006.

 

Carreira de Tiro de Monsanto

 

Clique para disparar!

Clique para ouvir com som... (carregue após a página estar concluída)  

 

Já Passaram 87 anos

Operação Georgette

A 9 de Abril de 1918 quatro divisões alemãs atacaram a única divisão portuguesa que defendia a linha no sector de Lacouture, no Vale de Lys, Flandres.

O capitão Resende, um valoroso Paço Arquiano, estava lá.

A RAÇA PAÇO ARQUIANA

Flandres, 22 de Novembro de 1917

"- Lisboa mandou-nos um oficial novinho em folha.


Afonso parou e ergueu a cabeça.

- Não me digas - sorriu, olhando para o amigo.-Quem é o anjinho?

- Um tal de capitão Resende.

- De onde é que ele é?

(...)

- Eu sou de Paço d' Arcos"

páginas 237/238

Morreram 327 Oficiais e 7.098 Praças

Esta é a prova da Raça Paço Arquiana

Depois do 25 de Abril apareceu, vindo da 5ª Divisão, o Capitão Porão, mas com ele a Guerra era outra.

 

O Beija Cavaco

A Tomada de Posse

11 Horas

4500 apertos de mãos e beijinhos

A "Nobreza" vestiu os trajes de gala, a maioria comprados no bazar chinês, a prestações, e lá rumou em direcção aos 4 palácios, para o "aperta o Cavaco". Sempres ganhariam uma refeição de borla! Cada engravatado levava uma pirosa de saltos altos para beijar o Aníbal.

"Circular, vamos a circular" - gritava uma funcionária.

Mas a culpa era da maioria das saloias, que já não aguentava com as dores nos joanetes, causadas pelos sapatos chineses.

"Deixem o Aníbal circular, não o beijem" - gritava a ucraniana.

Mas os três mil convidados, com as respectivas pirosas, atiravam-se desesperados aos travessões de fritos, torresmos e aos copinhos de sopa instantânea às cores, ao mesmo tempo que loimpavam as mãos no fato do Aníbal.

"O Presidente já está cheio de nódoas" - avisava, aflita, uma moldava.

A um canto da sala, o Nino e o restante pessoal africano, enchiam à pressa uns sacos de plástico do "Continente", com restos de pastéis, croquetes e pão, para darem de comer aos filhos no regresso a casa.

Entre um grupo de notáveis estavam os representantes do embaixador Ritto, do Cruz e do Bibi, em conversa animada com a deputada anã, a gaja Drago. O último a chegar foi outro anão, o Mendes, que aproveitou para dar uma entrevista ao Batatoon.

Entretanto, noutro ponto do arraial, Sampaio recebia da mão de uma pintora xungosa, uma aguarela pintada com tintas chinesas, que o representava ainda mais pateta. O filho aproveitou para papar umas sopeiras asiáticas, como é seu hábito nestes últimos dez anos.

CENAS

Calma Mário que eu tenho uma Moldava à tua espera em Nafarros!

Que mania porem pincéis e tintas nas mãos desta monga!

Quando estive lá fartei-me de gamar!

 

O PROCESSO MAOMÉ

 

O CASANOVA PORTUGUÊS

A Conspiração ou a história da filha clandestina do Jerónimo.

I

No dia do casamento do Jerónimo, mais conhecido pelo Rosca, a Odete pôs-se , no final da cerimónia, na fila dos cumprimentos. O Jerónimo quase que se casara com a Odete, mas fora impedido pelo Álvaro, que o obrigou a dar o nó com a camarada Marreca de Monsanto, mais conhecida no meio do partido como a Drago dos bóbós. E tantas foram as xupetas nos operários, que acabou por engravidar e dar à luz uma anã a quem chamaram Ana. Esta conheceu um deficiente mental de nome Louçã e ambos formaram uma Cerci à esquerda da do papá Jerónimo.Mas, voltemos à fila dos cumprimentos. A Odete, com quem o noivo quase se casara, aproximou-se com os seios portentosos, capaz de alimentar uma comuna inteira. Quando a Odete e o seu decote proletário chegaram à frente do noivo ele, de olho no decote, perguntou:

- Como estão, camaradas?

Já não houve tempo para correcções, porque a Odete abraçou-se ao Jerónimo e beijou-o, desejando-lhe toda a felicidade no partido.

- Camarada cadela gordurosa - gritou a camarada Marreca de Monsanto. - Largue-me o camarada Jerónimo.

- Eu? Estou só a dar-lhe felicitações operárias.

- A foice dele é só minha, seu coirão do leste.

 

II

Jerónimo confessa-se a Álvaro, que faz referência do segredo num dos seus livros (também confessou à PIDE os nomes daqueles que ele queria afastar, para ascender ao poder no partido): "O Sousa disse-me que a conquista da Odete lhe custaria redobrados cuidados, pois ela era a primeira beleza operária de Portugal(...). Passou a ir sempre excitado para as reuniões no Comité Central, não se coibindo de dizer que iria empregar todos os meios possíveis para cativar a Odete Barbuda(...). um dia ouvi gemidos da Odete e apanhei-os enrolados junto a uma foto do camarada Lenine e percdebi que os calores eram mais importantes que as convicções. E tinha havido blasfémia: as gloriosas marcas da virtude da Odete estavam agora a colorir uma das bochechas do Vladimir. O sangrento sacrifício, que tinha mutilado, não a Barbuda, mas sim o operário, obrigaram-me a tomar uma decisão: atirar-lhes um balde de água fria para os descolar. Se dali viesse ao mundo mais alguém, o partido não aguentaria o trauma.

 

 

O CHALÉ DA MERDA

Academia de Belas Artes de Paço de Arcos

" O Calhau do Focas "

"Obra de tal forma ilustre e grandiosa que eu pecaria por falta de modéstia se ensaiasse descrevê-la"

Cocciolo

"Obra magistral de sentimento, de execução, composição e interpretação. Toda aquela trampa está viva. Há mais ternura voluptuosa e humana do que sentimento religioso".

Cerapito

O "Calhau do Focas" é uma obra arriada pelo Dr. Focas na véspera da partida para Chaves, no âmbito da descida do rio Tâmega, parte da qual decorou a fechadura do restaurante do Xantola e serviu de cola para um cartaz de rock, no mesmo espaço comercial.

O resto foi direitinho para o Chalé!